Projetos de Viabilidade

projeto I

Fonte: Apostila do Prof. Domenico Mariano – Finanças e Controladoria III

Na Esso, uma das atribuições relacionadas a minha função era renovar contratos com os postos. Nesse momento, a disputa entre a área de vendas, que ofertava um pacote para não perder o ponto, e a área de planejamento de mercado, que gerava os “econômicos”, era normal. Costumávamos ouvir  a seguinte expressão: “Esse reasseguramento não dará  RETORNO”! Mas, o que isso significava?

Voltando ao NPV e IRR / ERR, tal retorno nada mais era do que o Custo de Oportunidade, de 12%, 15% ou 18% ao ano, por exemplo, que não vinha sendo atingido naquela condição proposta, mas cujo mesmo era o mínimo exigido pela Cia para viabilizar o negócio e não gerar um NPV negativo.

Esse tipo de análise que empresas fazem é uma das mais importantes para garantir a rentabilidade futura de seus investimentos. Na verdade, qualquer investimento deveria ser projetado sempre de forma matemática. Só que poucos fazem isso. Quantos empresários trazem para valor presente suas perspectivas de ganhos futuros para poder compará-las com o valor inicial investido?

Tais cálculos são complicados e exigem tempo e conhecimento. Calcular a vida útil econômica de um projeto envolve projeção de receitas, custos fixos e variáveis, impostos, capital de giro, depreciação, dentre outros. Além disso, premissas como o custo de oportunidade, taxas de reinvestimento dos fluxos e  custos da dívida são primordiais para um bom resultado.

Tudo isso para, ao final, obtermos o payback, TIR / TER e o VPL (ou IRR, ERR e NPV), bem como outros indicadores relevantes.

Dessa forma, além de termos em mãos os resultados que garantirão um maior índice de acerto nas tomadas de decisão, poderemos comparar os projetos entre si, proporcionando a melhor escolha.

A dúvida sobre a utilização de capital próprio ou financiado por terceiros é um exemplo prático que surge, e essa escolha dependerá da análise dos resultados obtidos nos projetos originais.

E lembre-se: sempre o capital próprio será o mais caro nos investimentos.