Realização de Inventários

Vamos imaginar um DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício) fictício de um único mês, por absorção funcional, de uma loja de conveniência com elevada participação de cigarros:

inventário

Supondo que o CMV acima, de 75.000,00, estivesse baseado apenas nos estoques contábeis do sistema da loja, teríamos, pela fórmula, o seguinte: CMV = Estoque Inicial (EI) + Compras (C) – Estoque Final (EF). Se considerássemos, por exemplo, o EI = 40.000,00, C = 50.000,00 e EF = 15.000,00, os 75.000,00 estariam assim confirmados:

CMV = 40.000,00 + 50.000,00 – 15.000,00 = 75.000,00

O que ocorreria se, no momento da realização do inventário, quando contássemos o estoque físico da loja, percebêssemos que os 15.000,00 do estoque final contábil não estivessem lá, ou seja, se o EF fosse igual a zero? A resposta seria apenas uma: o CMV aumentaria!

Isso acontece muito, talvez não nessas proporções, mas FALTAM MERCADORIAS nas lojas! Por quê? Por conta de roubos, produtos vencidos, etc…

E o que ocorreria com o LL se houvesse aumento do CMV? Diminuiria, ou poderia virar prejuízo.

Nesse caso, nosso novo DRE ficaria assim:

inventário prejuízo

De R$ 3.800,00 de lucro passaríamos para R$ (10.000,00) de prejuízo pelo simples fato de não termos realizado o inventário mensal.

Fica aqui a mensagem: a realização do inventário é, senão o mais importante, talvez o item de controle de MAIOR IMPORTÂNCIA nesse segmento.