Gestão de Custos

“A decisão de investimento é reflexo dos resultados das organizações, sendo esses representados pelo VALOR DA FIRMA, que é determinado pela expectativa do investidor com respeito ao retorno da empresa, na presença do risco.

Quando colocamos um determinado preço em um produto, esse preço, supostamente, deverá ser capaz de pagar os custos e gerar lucro aos acionistas. No entanto, independente da estratégia da empresa, o retorno sobre os investimentos, o volume de produção e os custos de operação são variáveis interdependentes e essenciais na adoção de uma política de preços, e o  lucro terá um papel limitador, pois a sobrevivência da empresa dependerá desse retorno ser o mínimo exigido pelos investidores. Por conta disso, não é espantoso que tantas empresas lancem mão de modelos com abordagem da orientação no custo do produto para que as auxiliem na definição do preço de seus produtos (José Carlos Sardinha, Ph. D.)”.

Dessa forma, o trabalho da Presser é o de avaliar a forma de custeio utilizada na empresa, discutir o efeito das duas abordagens contábeis existentes, ABSORÇÃO FUNCIONAL vs CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA, mostrar com exemplos a vantagem da abordagem por CONTRIBUIÇÃO UNITÁRIA, migrar a empresa para essa forma de custeio, caso não a utilize, e permitir que o cliente, ao final da assessoria, seja capaz de:

  • Distinguir margem de contribuição de margem bruta e suas aplicações;
  • identificar a importância do custo unitário;
  • distinguir o conceito: abordagem por absorção e abordagem por contribuição.

A partir desses entendimentos, parte-se para apuração do PONTO DE EQUILÍBRIO e do CUSTO MARGINAL.