Controle do Fluxo de Caixa

O entendimento do fluxo de caixa e a projeção trimestral, no mínimo, do mesmo, são dois pontos que o empresário jamais deverá abrir mão quando estiver à frente do seu negócio. E, por quê?

O motivo é simples: todas as ações de investimento, operacionais e de financiamento que a empresa optar por tomar para aumento das vendas ou redução dos custos irão refletir diretamente no caixa. Realização de promoções, treinamentos, compras, vendas à vista e a prazo, gestão dos estoques, taxas de cartões, orçamentos, dentre outros itens já mencionados, impactarão naquele item que será, no final de tudo, o maior responsável para que você possa honrar com os compromissos financeiros do seu estabelecimento: o caixa.

Exemplificando: se as ações que você implantar em seu negócio aumentarem as vendas em 30%, das quais 50% serão a prazo, sendo 90% no cartão de crédito, com manutenção do custo operacional e redução das margens brutas em 5%, esse conjunto de ações gerará, além de um suposto aumento da rentabilidade, um aumento de custos e da necessidade de capital de giro (NCG), impactando diretamente no CAIXA e no FLUXO DE CAIXA da empresa. Se a previsão de tudo isso for realizada com antecedência, a margem de acerto aumentará demasiadamente.

A gestão do caixa é a condição de sobrevivência do negócio.

Um bom software gerencial, assim como um acompanhamento paralelo em EXCEL, em alguns casos, que permita a visualização do comportamento dos saldos diário e mensal em uma única página, também são excelentes alternativas para o entendimento do negócio.

Quando assessorávamos o SINDÓPOLIS (sindicato patronal de postos de serviço da Grande Florianópolis), o controle financeiro era realizado através de um software gerencial, mas a visualização melhor do comportamento do caixa era conseguida através da planilha EXCEL desenvolvida. Os relatórios de caixa fornecidos pelo software eram menos didáticos. Saldos, despesas, receitas, médias e valores acumulados eram iguais (e não poderiam ser diferentes), mas o EXCEL facilitava a análise da movimentação financeira ao longo dos dias, meses e anos, agilizando a tomada de decisões. Não foram poucas as vezes que descobrimos erros de lançamento através das planilhas desenvolvidas, não percebidos nos relatórios gerenciais.